A família cristã em foco

Família

A família é uma instituição Divina composta por pai, mãe e filho(a) ou filhos. Deus nos deu uma família, e devemos glorificá-lo cada dia por isto. O mês de maio que começamos a viver é intitulado o mês do lar. Precisamos assentar em nossos corações, o desejo de servir a Deus na família, porque ela é o maior patrimônio que possuímos. Tudo que adquirimos neste mundo perderá o significado sem a felicidade da família. Nossos bens, diplomas e sucessos não compensarão o fracasso da família. Alguém disse: “Nenhum sucesso compensa o fracasso da família”.  A família precisa receber uma atenção especial. Podemos ser piedosos na igreja e profanos no seio da família. Certa feita um filho disse ao pai: Papai, vamos morar na igreja? O pai perplexo perguntou: Por que morar na igreja? Respondeu o filho: É porque na igreja o senhor é bonzinho comigo, com a mamãe, o senhor não grita, não fica zangado, etc. Valorize a sua família, seja um cristão autêntico, seja exemplo dos fiéis, na palavra, no trato, no amor, no espírito, na fé, na pureza.” (I Timóteo 4: 12).

Participei de um encontro de líder promovido pela IPB no acampamento Presbiteriano em Campinas no início do meu ministério. Em uma das palestras que foram ministradas para os lideres presentes, o preletor falou de uma família que pertencia a sua igreja e fez o seguinte relato: “Em casa o pai era um ditador, a família vivia em discussões”. Quando entravam no carro para irem para o templo a briga continuava. Quando se aproxima do templo o ditador dizia: estamos chegando ao templo, vamos parar de brigar. Em outras palavras: vamos colocar a máscara da santidade, pois vamos “adorar a Deus”. Não podemos construir nossa felicidade sobre uma família em ruína. Não é racional sermos amáveis com os estranhos e estúpidos dentro do lar. Não é legal sermos piedosos na igreja e desleixados, profanos no convívio da família. Nossa família precisa estar a serviço de Deus no templo e fora dele. Há muitas famílias vivendo em crise profunda, precisando de cura e restauração. A família, desde que instituída por Deus, tem sido alvo do seu amor e dela ele não abre mão, pois a instituiu para ser feliz e almeja que ela seja uma agência do seu Reino aqui na terra. Josué testemunhou diante de toda a nação de Israel que ele e sua casa estavam servindo e continuariam servindo ao Senhor (Js 24.15) e desafiou todas as famílias que pertenciam ao povo de Israel a servirem ao Senhor. Este líder que sucedeu Moisés tinha prestígio e bens, sucesso e fama, mas nenhuma conquista pessoal diminuiu seu propósito de consagrar sua família a Deus. Pessoas são mais importantes que coisas e às vezes nos descuidamos disto buscando apenas prosperidade financeira, sucesso profissional e investimento intelectual dos nossos filhos. Cremos que tudo isto tem o seu lugar, mas, precisamos focar em primeiro lugar o crescimento espiritual da família, desejosos de que ela seja uma bênção nas mãos de Deus, seja uma família comprometida com as coisas do alto, ansiosa pela vinda de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo.

Concluindo, devemos ter cuidado com a televisão, a internet, etc., que tem roubado o tempo que deveria ser investido na vida familiar com diálogo regado de compreensão e amor, pois assim elogiaríamos mais e criticaríamos menos. Assim teríamos uma disposição maior para perdoar sem guardar mágoas no coração. Precisamos fazer da nossa casa o melhor ambiente para se viver.  Precisamos à semelhança de Josué dizer: “Eu e a minha casa serviremos ao Senhor” (Js 24.15).   Que Deus visite as nossas famílias com um grande avivamento, para que elas andem no temor do Senhor e nos seus caminhos.

Rev. Paulo Duarte Neves

foto: http://www.wallpaperscristaos.com.br/

comments powered by Disqus